Uma grande parte das frustrações que carregamos com a gente mesmo, se deve ao fato de procurarmos referenciais em outras pessoas. Em parte isso pode até ser bom, desde que você não se esqueça que  você é único e insubstituível.

Usar outras pessoas como referencial pode até funcionar em um início de caminhada, mas sempre com o alvo de ser um trampolim e finalmente procurar o seu próprio e único caminho.

Bill Gates, Steve Jobs, Mark Zuckerberg, Gandhi, Martin Luther King e uma infinidade de outras pessoas, não foram pessoas de sucesso porque eram iguais a alguém. Foram bem-sucedidas porque foram elas mesmas. Como diz a escritora americana Anne Lindberg: “A coisa mais cansativa na vida é não ser autêntico”.

Steven Spielberg foi bem sucedido porque foi Steven Spielberg. Aprenda com quem sabe todas as técnicas e métodos possíveis e inimagináveis mas o desafio é ser você. Único, especial e inesquecível.

Não se trata de ser famoso ou de ganhar dinheiro. Trata-se de um sentimento de realização pessoal que só pode ser alcançado quando você for você.

Cuide bem de você.